Biografia

"Humberto é um dos melhores bateristas com quem já toquei - e veja que tenho tocado com alguns dos grandes. Sua energia é fantástica, além de ser um mestre do groove."

                                                             - Andy Just, Bends Magazine

Com 25 anos de carreira, Humberto Zigler é um dos bateristas mais requisitados de São Paulo.

Vindo de uma família de pescadores, conheceu a música por meio de tios músicos, e não tardou a se tornar um apaixonado pelos ritmos. Logo passou a tocar na noite de Florianópolis, em bandas de baile e grupos de samba. Na mesma época, se aperfeiçoou na bateria com Kiko Freitas. 

 

Em 1999, fixou residência em São Paulo, realizando trabalhos como professor, em ONGs e, posteriormente, no projeto Guri (Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo) onde foi responsável, entre outras coisas, por preparar os alunos de percussão para a apresentação com o pianista Arthur Moreira Lima no 31º Festival de Inverno de Campos do Jordão. Tal experiência permitiria que, posteriormente, ministrasse residências de percussão e prática de conjunto no projeto “Música para a Vida”, em Guaramiranga (Ceará), resultando em uma apresentação dos alunos no “Festival de Jazz e Blues de Guaramiranga”.

 

Nessa época, ao ser indicado para um trabalho com o artista americano J.J. Jackson, teve seu primeiro contato com o blues, gênero em que se tornou especialista, sendo reconhecido entre os maiores bateristas de blues do país. Gravou e acompanhou nomes como Nuno Mindelis, Ari Borger, Marcos Ottaviano, Sérgio Duarte, Steve Guyger, Sax Gordon, Curtis Salgado, Kenny Brown, Gary Brown, Igor Prado, Deacon Jones, Celso Salim, Flávio Guimarães e Andy Just (Ford Blues Band), Marty Sammon, Amleto Barboni, Tritono Blues, entre outros. Além disso, faz parte do Ari Borger Quarteto (AB4) há mais de 10 anos, passando pelos principais festivais de blues do país, como o Rio das Ostras Jazz&Blues Festival, o Samsung Best of Blues e o ViJazz Festival, e no exterior, passando por Croácia, Hungria, Romênia, Eslovênia e Áustria. Com Nuno Mindelis, além dos renomeados festivais brasileiros, tocou em Angola e em Portugal, na Festa do Avante.

No universo do rock e do jazz, gravou e tocou com O Terço, Sergio Hinds, Daniel Grajew, Marcio Tucunduva e Rotação Inversa.

 

Além do conhecimento aprofundado dos ritmos americanos, Humberto Zigler se tornou um mestre das sonoridades brasileiras. Ao longo dos anos, desenvolveu as mais diversas abordagens percussivas, se aprofundando nas raízes da música afro-brasileira, do samba e da bossa-nova. Assim, realizou trabalhos com Alaíde Costa, Patricia Marx, Carlos Navas, Claudete Soares,Fafá de Belém, Olivia Hime, Mariana Belém, Magno Mello, Mafalda Minnozzi (cujo DVD gravou na Itália) e Cauby Peixoto, gravando seu último disco. Com Corina Magalhães, gravou o álbum “Tem Mineira no Samba”, indicado para o Latin Grammy 2016 na categoria “Melhor Álbum de Samba/Pagode”.

Atualmente, Humberto Zigler integra o Ari Borger Trio, o projeto BPC (Beatles Para Crianças), a banda Blues Beatles, Folk na Kombi, a Rotação Inversa e o projeto Tritono Plays Ray Charles.